Sprinkler

Chuveiros Automáticos (Sprinkler)

Conforme a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), “Os fundamentos da proteção contra incêndios das edificações com sprinkler estão baseados no princípio da descarga automática de água, com densidade suficiente para controlar ou extinguir os focos iniciais de incêndio”.

A LJA Sistemas Proteção Contra Incêndio faz projeto com dimensionamento detalhado dos sprinklers na área a ser protegida seja em residência, prédio, shopping, comércio, indústria, fábricas, túnel, usina, toda edificação que se encaixe nesta necessidade.

O que é um sprinkler

Um sprinkler é um dispositivo para combate a incêndios, é composto de uma “armadura”, um elemento sensível, chamado bulbo, no interior tem um líquido que se expande a uma temperatura, abrindo a passagem da água que está pressurizada na tubulação normalmente de ½” ou ¾” NPT onde está rosqueado.

A liberação da água atua no combate, sob a forma de aspersão sobre determinada área, com vazão e pressão especificados, para controlar ou extinguir um foco de incêndio.

Dentro da linha de equipamentos fixos de combate a incêndios, os sprinklers têm se mostrado um dos meios mais eficientes e econômicos, que podem diminuir os prejuízos à sua propriedade.

Voltando aos detalhes da sua aplicação, o bulbo do sprinkler se rompe, à medida que o incêndio já foi iniciado e a temperatura só faz aumentar. Nesse ponto, a água que é liberada pela tampa rompida, e cai de forma circular, chegando a cobrir uma área de 16 m² dependendo do modelo utilizado.

Dois ou três deles abertos costumam ser suficientes para o combate, e não existe nenhum risco do fogo de um ambiente provocar a abertura de um sprinkler em outro lugar se não o afetado pela elevação da temperatura, já que eles se abrem individualmente.

Os chuveiros automáticos ou sprinklers, são categorizados basicamente pelos seguintes:

Posições

Os chuveiros automáticos podem ser instalados em várias posições, e para cada uma delas tem um formato de defletor adequado. As posições mais encontradas nas instalações podem ser classificadas em:

  • Sprinkler Pendent

    Sprinkler Pendent

    Pendente (Pendent)

    Quando o chuveiro é projetado para uma posição na qual o jato é dirigido para baixo para atingir o defletor e espalhar o jato;

  • Sprinkler UpRight

    Sprinkler UpRight

    Para Cima (UpRight)

    Normalmente utilizada em instalações onde as canalizações são expostas (ex: garagem), esse modelo faz com que o jato suba verticalmente até encontrar o defletor, que de uma certa forma “reflete” o jato na direção oposta, ou seja, para baixo;

  • sprinkler

    sprinkler

    Lateral (Sidewall)

    Modelo projetado com defletor especial para descarregar a maior parte da água para frente e para os lados, em forma de um quarto de esfera, e uma parte mínima para trás, contra a parede.

Temperatura

Os chuveiros automáticos são aprovados em graus nominais de temperatura para seus acionamentos, variando de 57˚C a 343˚C, determinados pelas temperaturas máximas permitidas nos ambientes, já considerando uma margem mínima de acionamento de no mínimo 20˚C acima.

 Tamperatura

Temperatura Nominal (ºC) Coloração do Líquido
57 Laranja
68 Vermelha
79 Amarela
93 Verde
141 Azul
182 Roxa
183 a 260 Preta

Vazão

A vazão de água através de um chuveiro automático depende da característica mecânica do mesmo, representada pelo seu fator de vazão K

Tabela de K

Fator Nominal K Diâmetro nominal da Rosca
80 (5,6) ½”
115 (8,0) ¾”
161 (11,2) ¾”
202 (14,0) ¾”
242 (16,8) ¾”
323 (22,4) 1”
363 (25,2) 1”

 Sistemas de sprinklers  Norma de Projetos

  • distribuir os chuveiros por toda área a ser protegida;
  • calcular a área máxima por chuveiro automático de acordo com o risco a proteger, sem exceder;
  • avaliar a localização do sistema em relação ao teto para evitar a interferência na descarga de água por obstruções;
  • dimensionar a tubulação de acordo com o risco a proteger.

O posicionamento dos chuveiros automáticos em relação aos elementos estruturais é muito importante para um desempenho satisfatório do sistema como um todo. Ou seja, deve-se estudar as interferências na distribuição da descarga de água do chuveiro por elementos estruturais, condutos e outros. Além disso, é preciso manter o correto afastamento do chuveiro em relação aos elementos para garantir a sensibilidade quando a temperatura do funcionamento do chuveiro.

Para evitar problemas de projeto de sistemas de sprinklers e para garantir a qualidade do trabalho é preciso estudar alguns pontos importantes que a NBR 10897:2014 estabelece.

Conclusão

Desde sua invenção e correta aplicação, os sprinklers (chuveiros automáticos) tem demonstrado ser o melhor equipamento disponível para combate a incêndio, e que obteve maior êxito no combate aos incêndios em edificações.

Uma pesquisa realizada ao longo da década de 80 nos EUA (Solomon, 1996) apresentou os seguintes resultados:

  • – 8% dos focos de incêndio foram extintos ou controlados por apenas 1(um) sprinkler;
  • – 48% dos focos de incêndio foram extintos ou controlados por apenas 2(dois) sprinkler;
  • – 89% dos focos de incêndio foram extintos ou controlados por até 15(quinze) sprinkler;

Consulte a LJA Sistemas para fazer seu projeto de rede sprinkler .

Entre em contato para maiores informações e cotações dos equipamentos de incêndio http://www.ljasistemas.com.br/contato